No ultimo dia 19/05 foi a vez da cidade de Santana de Parnaíba receber a 36ª edição do Circuito Brasileiro de Cicloturismo.

Essa edição contou com um percurso um pouco maior do que as edições anteriores, nessa etapa encontramos uma trilha de 42 Km, sendo 16 Km de asfalto, cortando a cidade e 26 Km de trilhas.

A etapa de Santana de Parnaíba foi marcada por muitos acontecimentos, pois no mesmo dia aconteceu uma romaria a cavalo na região, e a turma do Motocross também estava por lá.

Como passaríamos por trecho da cidade, a GCM fez a escolta dos 292 participantes no perímetro urbano para que não houvesse nenhum problema.

Já no começo da trilha, paramos no primeiro ponto de apoio para algumas orientações sobre o caminho e também hidratação da turma.

Após essa pequena parada, seguimos cada um no seu ritmo por uma região de muito verde e que em determinados pontos, conseguíamos ver macacos e outros animais.

Além de sermos contemplados pela natureza, cada um dos participantes tinha um objetivo, seja ele chegar ao final sem o carro de apoio, subir pedalando as ladeiras, superar uma trilha maior, ou até mesmo, marcando seu retorno ao pedal, alguns com câimbras, outros com o cansaço querendo falar mais alto.

Porem, foi a força de vontade de cada um que fez a diferença, e ai entram 3 pessoas na historia, dois garotos de 9 anos e um adulto que foi convidado pelos amigos a ir ao evento.

Um dos garotos já tinha participado da edição de Vargem – SP com a família, família essa que chamou o tio para pedalar em Santana de Parnaíba, seria o primeiro pedal dele.

Fui o tempo todo acompanhando os dois, muitas subidas, descidas, e tudo mais que uma boa trilha pode oferecer.

Até o Km 15, nosso segundo ponto de apoio para hidratação os dois estavam bem, nenhum desgaste que pudesse comprometer o pedal deles.

Depois de uma breve pausa, demos continuidade ao pedal, do Km 15 em diante é que a historia começa pra valer, foi ai que começou a aparecer “as ladeiras”, algumas superadas pedalando e outras empurrando, mas nunca desistindo.
E o outro garoto? Esse ai estava mais para frente, pedalando junto com o pai que o incentivava a cada Km vencido.

Após pararmos no km 21 para repor as energias e comer umas frutas, continuamos o pedal por um trecho um pouco mais tranquilo e algumas descidas fortes.

Pouco antes de chegarmos no km 25, encararíamos mais subidas e nosso amigo que pedalava pela primeira vez sentiu câimbras, acabou ficando travado, com a ajuda da ambulância de apoio ele foi de carona na subida, enquanto nosso jovem subia empurrando a bike, quando perguntado se queria ir para o caminhão, a resposta era sempre “não”, vamos em frente então.

Subi pedalando e carregando a bike do nosso amigo que sentiu câimbras, lá no topo paramos para ver se ele continuaria ou ficaria um pouco mais sem pedalar, como não tinha condições, colocamos a bike no caminhão de apoio e seguimos pedalando.

Já no km 25 fizemos uma parada de aproximadamente 20 min para a turma se recuperar das subidas. Só teríamos outra parada no Km 33, para o Sprint final rss.

Foi no Km 33 que encontramos o nosso segundo guerreiro, juntamente com seu pai o incentivando o tempo todo, formamos um grupo e fomos pedalando até o final.

Nesse percurso restante, até nosso amigo da câimbra se recuperou e quis completar pedalando.

A força de vontade dessas 3 pessoas foi a “cereja no bolo” do evento.

Uma cena de superação e que serve de motivação para aqueles que acham que nunca vão conseguir alcançar seus objetivos.

Grande abraço a todos e fiquem ai com algumas fotos do evento: