Já faz um tempo que vinha querendo escrever sobre a minha volta aos “pedais”, mas por N questões acabei deixando de lado.

Mas agora, vou relatar um resumidamente como tudo começou.

Eu já “andava de bicicleta” desde os 8 anos, quando ganhei minha primeira bike dos meus pais, era uma MTB de uma velocidade só, ferro e sem suspensão. Bom naquela época eu rodava muito com ela e nem me preocupava.

Lembro que junto com meus amigos, criávamos provas de tempo, onde cada equipe tinha que dar a volta no bairro e a equipe que completasse o percurso em menos tempo ganhava uma tubaína ou outra coisa rssss

Outra modalidade era a “Fechada”, onde o objetivo era fechar o outro e quem colocasse o pé no chão perdia e entregava a bike para outro competir.

Entre os 16 e 17 anos, parei de pedalar, sinceramente não me lembro o motivo, mas acabei ficando longe da bike até o ano passado, quando acabei passando por mudanças que me fizeram voltar ao mundo das Bikes.

Passei quase 9 anos me dedicando aos estudos e também a empresa que participei desde a fundação, foram anos buscando fazer o melhor para os negócios, acabei descuidando da minha qualidade de vida e outras coisas. Mas nem tudo foi mal, como as empresas são formadas por pessoas, existem as boas e outras amarguradas. Os meus amigos eu sei quem são e onde encontra-los, devido a distancia é pouco complicado de juntar todo mundo, mas graças as redes sociais, conseguimos manter contato.

E foi assim que voltei a pedalar, um grande amigo meu que saiu da empresa poucos meses antes da minha saída, comentou que estava fazendo cicloturismo e conhecendo varias cidades.

Achei legal e fui começando a sentir a motivação em pedalar novamente, e quando sai da empresa em Setembro, a motivação me fez pesquisar por uma bike e em Outubro resolvi comprar a bike.

Bom até ai blz, já tenho a bike e agora?

Foi ai que comecei a buscar por locais e grupos para pedalar, muita coisa mudou nesses anos fora dos pedais, fui pesquisando, mas a maioria dos pedais eram “longes” de casa e eu sem preparo físico, não daria certo.

Ai comecei a pedalar pela ciclovia da Radial leste, lembro da luta para superar o trajeto de pouco mais de 3 Km da minha casa até a ciclovia, a subida da Águia de Haia parecia sem fim, chegar no metro Tatuapé foi uma superação, voltar então era questão de honra.

Lembro que fiz 3 passeios desses, totalizando aproximadamente 40 Km.

Dai conversando com o Cris, amigo que me fez voltar a pedalar, inventamos de descer a Rota Marcia Prado, a qual sairia da ciclovia da estação Vila Olímpia e iria nos levar até o Canal 1 em Santos.

Muitos amigos acharam isso uma loucura, mas como loucura no meu dicionário é sinônimo de desafio, resolvi encarar com todo esse condicionamento que havia adquirido rsss.

Eis que chegou o dia 10 de Dezembro de 2011, data que o meu conceito sobre pedalar, deixou de ser apenas aquela volta na praça, ou no bairro e sim começar a praticar o cicloturismo.

Lembro que fiquei espantado com tanta gente que chegava na estação Vila Olímpia, fiquei surpreso, pensei que #)(*&!@ é essa? Quanta gente.

Ai depois de um pequeno desencontro com o Cris e a Dai, acabamos nos juntando aos novos amigos, Glauber, Erica, Rafael, mais a frente com o Toninho e a Flora e fomos em direção a Santos, nessa hora pensei muito, será que chegarei lá?

A primeira coisa que me veio na cabeça foi a musica do Rock Balboa, foi uma superação após a outra, primeiro a Av. Belmira Marin, depois as balsas até chegar no acesso a Rod. dos Imigrantes, essa ultima marcou o primeiro ponto onde tive câimbras, lembro que desci da bike e não consegui andar, mas ali não tinha essa de cada um por si, e fui prontamente ajudado pelos amigos e demais ciclistas que literalmente tomaram conta da rodovia.

Após alguns Km de pedaladas pela Imigrantes, chegamos ao parque da Serra do Mar para seguir viagem pela estrada da manutenção, chegar ali já foi uma superação e tanto.

Dai para frente foram varias paradas para fotos e também por câimbras, lembrem que meu condicionamento não estava lá muito bem rss.

Chegando em Cubatão, seguimos pela Rod. Anchieta até Santos, depois acessamos a ciclovia e dai fomos apreciando as paisagens até a chegada no Canal 1.

Depois dessa viagem, comecei a me dedicar mais ao cicloturismo e por meio dele acabei reencontrando grandes amigos, como o André que também pedalava comigo no passado, mas que não estava pedalando mais, por falta de ter mais alguém para ir.

Nesse próximo domingo dia 02 de Setembro de 2012, voltarei a descer a Rota Marcia Prado, juntamente com o Grupo do 2º Desafio Bicicletas ao Mar.

Muitas coisas mudaram desde Setembro de 2011, hoje trabalho próximo da minha casa e possuo uma qualidade de vida melhor.

Logo mais atualizarei o post com algumas fotos e vídeos.

Abraços…